Elefante Core Volume 2: o registro da cena continua

por em segunda-feira, 12 dezembro 2016 em

LinkedIn

Em 2003 Vlamir Cruz (Mudernage Discos) e Alexandre Alves (Solaris Discos), lançaram a coletânea Elefante Core que deveria ter se chamado Elefante Punk. Mas como sempre rola divergência de opiniões quando se tem extremos na mistura, o nome final ficou mesmo Elefante Core. Cinco bandas integraram a compilação, cada uma com duas músicas: Vernáculo, Frattelli, White Myself, Raça Odiada e DMS. Todas interligadas pelo som rápido, distorcido e direto. O lançamento ocorreu no extinto Vice-Versa.

A segunda edição da coletânea foi feita em parceria com as bandas, em forma de cooperativa, diferente da primeira que os selos se encarregaram de gravação/prensagem. Apesar de manter o mesmo nome, O universo musical se expandiu e o Core vai do shoegaze da Thee Automatics passando pelo punk tradicional e indo até o grindcore e estilos sem definição, como a Poop que tem uma rabeca na sua formação. O interessante também do registro é a abrangência de épocas. A já citada Thee Automatics está na estrada há 15 anos enquanto a Petard não tem um ano de vida. Além de chegar até o interior do RN. Herbert Medeiros, organizador da segunda coletânea, explica o que mudou entre os dois lançamentos: “A diferença da proposta do volume 1 para o volume 2 é que a coletânea nessa segunda edição tornou-se mais abrangente em relação a localidade das bandas, agora a nível estadual, e também ao número de participantes.” Bebeto vai mais além quanto a seleção das bandas: “Tendo em vista que o lado do metal já possui uma coletânea a qual é produzida somente com bandas desse estilo, a Elefante Core busca o outro lado da moeda. Foquei a seleção em bandas de grindcore, hardcore e outras de estilos experimentais”.

A ideia de fazer a segunda edição da coletânea surgiu quando Bebeto abriu seu estúdio e percebeu que diversas bandas mereciam ser registradas e lançadas. Dessa forma cada uma entrou com uma cota que dá direito a exemplares da coletânea e a tocar no evento que acontece em três dias: 16, 17 e 23 de dezembro no Galpão 29, às 18h e custa R$ 8 cada dia do evento. Além de shows contará com comida e banquinhas com material das bandas, o que ajuda muito a elas se manterem, já que todas são independentes. Todo o evento será filmado e gravado os áudios dos shows.

No sábado às 16h o evento ainda contará com um debate/causos do rock com Vlamir Cruz e Alexandre Alves, idealizadores da primeira coletânea.

Abaixo segue a programação dos três dias.

Galpão 29 – 16/12 – 18h

18:00 Joseph Little Drop
19:00 Thee Automatics
20:00 PooP
21:00 Born To Freedom
22:00 Valvulosa
23:00 Zênit HC
00:00 Psicomancia

Galpão 29 – 17/12 – 18h

18:00 Anti-Sapience Club
19:00 Tenébrio Form
20:00 Blood Spencio ( Currais Novos )
21:00 N.T.E.
22:00 Insane Madness
23:00 Depois de velho (Mossoró)
00:00 Pureza Genocida

Galpão 29 – 23/12 – 18h

18:00 Dessituados
19:00 Chancho
20:00 Antiskeumorra
21:00 Ravanes
22:00 HPBK
23:00 Petard

Ouça a coletânea Elefante Core volume 01 abaixo.