Against Me! abriu o Festival DoSol em celebração pela diversidade

por em quinta-feira, 25 outubro 2018 em

LinkedIn

A festa de abertura do Festival DoSol deste ano foi realizada no último domingo, 21 de outubro, no Centro Cultural DoSol com os shows da potiguar Concílio de Trento, Blackdrop Falls (CE), Rosa Idiota (BA), Deb And The Mentals (ES) e a americana Against Me!. No contexto em que o país está inserido, onde liberdades individuais estão sendo violentadas, a vinda de uma figura proeminente, como Laura Jane Grace, ativista que luta contra preconceitos e todo o tipo de postura retrógrada, principalmente pelos direitos dos trans, acabou tornando uma noite que já tinha muito para ser tida como única, ainda mais especial.

Vale ressaltar que, não só o Centro Cultural DoSol, mas, todo o largo da Rua Chile esteve movimentado, pois também acontecia o Festival Vermelho com movimentações no Ateliê, Galpão 29 e Alchemist, além do próprio Largo, onde também foram realizadas intervenções artísticas e apresentações musicais. Todas em defesa da democracia e contra essa onda Fascista que contaminou parte da sociedade.

A programação do Festival DoSol em si, começou por volta das 17h com a Concílio de Trento levando ao palco um show que é calcado no EP Tomara que não chova, lançado no primeiro semestre deste ano. Como primeiro show e em uma tarde de domingo, o público ainda era pequeno, porém quem estava no DoSol já sabia cantar as músicas e assistiu à apresentação com atenção. Vale ressaltar que devido ao palco já estar com a bateria da Against Me! montada, o espaço ficou bem reduzido, dificultando um pouco para uma banda que tem muita movimentação de palco e cinco componentes, mas nada que tenha prejudicado o show em si, ao menos para o público.

Em seguida foi a vez da Backdrop Falls com o seu som que é calcado no rock alternativo com algumas músicas mais rápidas que mesclam com o punk rock mais melodioso e letras que abordam temáticas pessoais relacionadas à vida cotidiana. Canções como “Back of the line”, que possui clipe na internet, estiveram no set do show além de músicas que devem estar no disco There’s no such place as home, primeiro trabalho do grupo ainda a ser lançado.

A Rosa Idiota trouxe a Natal um show com músicas dos seus dois discos Circle (2017) e Somatic (2018). Já com um público em melhor número a banda soltou seu set list calcado em um indie rock com influência noventista, com bons riffs e vocais melódicos. Mais um show que teve público atento até pelas boas críticas aos álbuns da banda.

Eis que chega a vez da Deb and the Mentals que já é uma banda praticamente da casa. Nos últimos dois anos tocaram no próprio Festival DoSol e MADA, adquirindo público cativo e fãs que povoam freneticamente à frente do palco. O show contou com músicas como “Mess”, “Take It Away” e “Fell the Mantra”, em um total de 12 músicas, pelo menos ao que consta no set list, mas que devido ao clima em torno do show, fizeram parecer até curto.

Fechando as apresentações com chave de ouro, a Against Me! subiu ao palco abrindo o show com “True Trans Soul Rebel” do disco Transgender Dysphoria Blues (2014), colocado entre os melhores do ano em várias listas de sites especializados em música e que marcou por ser um disco voltado para o próprio momento vivido pela vocalista Laura Jane Grace. Ao todo foram em torno de 20 músicas que fizeram um apanhado de toda a carreira da banda. Do disco de 2014 ainda foram executadas além da música título: “Dead Friend” e “Back me out”. Do álbum Shape Shift With Me (2016) tocaram “333” e “Haunting, Haunted, Haunts”. O trabalho com mais músicas executadas foi New Wave (2007) com “Americans Abroad”, “New Wave”, “The Ocean” e “White People For Peace”. Do disco Reinventing Axl Rose (2002) também foi interpretada a faixa título. A clássica “I Was Teenage Anarchist” foi uma das músicas que representou o álbum White Crosses, de 2010, levantando ainda mais o público. Em um show que manteve o público frenético do início ao fim e uma Laura Jane que não dificilmente foi vista sorrindo com a ótima receptividade que o grupo recebeu no Brasil.

A festa de abertura do Festival DoSol 2018 foi, sem dúvidas, memorável para que pôde estar presente. Agora é esperar pela divulgação dos dois dias principais do festival com aquela cacetada de bandas de estilos variados. Lembrando que durante o mês de novembro também rolam os side shows.

Fotos: Felipe Alecrim